A história de Patrick, um menino sem sorte.

Era uma vez um menino sapeca chamado Patrick, ele era bonito, alegre e mais alguns adjetivos que poderiam chegar a duas paginas de interrogações. Enfim, Patrick não tinha muita sorte, na verdade, ele não tinha um pingo de sorte. Isso era para o mesmo chato, porém visto aos olhos sádicos era um fato engraçado, muito.

Patrick acordava todos os dias com um mesmo pensamento que dizia: “Será que hoje meu dia terá sorte?”. Não, seus dias não tinham sorte nem que a vaca tossisse, latisse ou tivesse algum nome com “sse” no fim. Como seu colégio era no período da tarde, a manhã dele sempre estava livre para suas peripécias. Passava a manhã todinha jogando RUNESCAPE, um jogo para nerds viciados na droga TPM (Tô Precisando de Memória).  Quando chegava a hora do almoço, seu prato já com a comida era maior que o monte Everest, para sua sorte ele não engordava por nada.      

Depois da comilança, já pronto e preparado para ir ao colégio. Segue ele para seu caminho quando de repente…Um moreno na “bike” aparece do nada e manda ele passar tudo. Sem reação o demente fica parado. O ladrão por sua vez vê a tal corrente de prata original – mas conhecida como corrente de playboy – Puxa a corrente com força e sai na bike que nem ladrão. Afinal das contas ele era um ladrão. Patrick ainda assustado chega ao colégio chorando por ter sido roubado, seus amiguinhos não ligaram para o seu sofrimento.

Superado da dor – contentou-se com o titulo de um idiota roubado – foi para a sala de aula. No dia só tinha aula chata, aquelas que você prefere morrer a te- lá. Depois de levar uns 20 vacilos – coisa que playboy faz quando alguém fala merda, tapa na cabeça. Abaixo você confere uma forma mais resumida do dia do Patrick.

Ele caiu, tropeçou, quebrou o dedo, levou um fora, levou milhões de tapas na cabeça, foi maltratado, ridicularizado, roubado, foi motivo de risadas, falaram que odeiam ele, expulso de sala, tirou nota baixa na prova, levou bolada na cara na aula de Ed. Física e mais coisas ruins.

Bom, essa historia é pra mostrar que nem tudo na vida é cheia de sorte e que mesmo assim Patrick era feliz. Temos que aprender a nos contentar com o que temos. Ah, e mais uma coisa. Patrick é um apelido, esse ser humano realmente existe e habita entre nós. Créditos para Lucas C. por ter essa incrível idéia de contar um dia do Patrick em detalhes.

@aboutmymadness é uma joaninha mutante

0 Responses to “A história de Patrick, um menino sem sorte.”



  1. Deixe um comentário

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s




maio 2010
S T Q Q S S D
« abr   jun »
 12
3456789
10111213141516
17181920212223
24252627282930
31  

Twitter

Erro: o Twitter não respondeu. Por favor, aguarde alguns minutos e atualize esta página.

Visitas

  • 64.064 pessoas com calor

%d blogueiros gostam disto: